18 setembro 2009

Intimidade - insensibilidade

Imagine a cena - um amigo seu resolveu se inscrever para uma competição de desenho - canto, redação, salto com vara, whatever - e você sabe que ele é péssimo. Você acredita nisso. A sua maior vontade é dizer "Deixa de ser idiota, você vai se ferrar". Você diria?

Bom, eu NÃO. Não importa se essa pessoa é um desconhecido, ou meu melhor amigo, ou minha mãe, minha irmã, meu professor de sei-lá-o-que.
Porque não importa o quão próximo você seja de uma pessoa, você não deve faze-la se sentir mal. Não importa quanta liberdade você tenha, você não tem o direito de ferir. Não se diz à alguém que ele é burro, mesmo que seja. Não porque você não possa, mas por que se você gosta de alguém, você não quer vê-la infeliz. Há um limite até onde você pode ir, Uma linha que separa a crítica construtiva da depreciação simples e pura. Intimidade não é o direito de agredir alguém verbalmente sem consequencias. Não é.
Eu não suporto ver o jeito como algumas pessoas à minha volta tratam uma as outras. Pessoas que se amam. Ou querem amar. Ou fingem que querem.
É tão dificil assim medir as palavras? Usar de delicadeza. A gentileza não é mais necessaria após anos de convivencia? As pessoas realmente pensam assim? Por que elas agem dessa maneira?

Desculpe-me por esse desabafo, eu estou meio deprimida hoje. Deve se repetir.