02 outubro 2009

Censura, NÃO!

Eu certamente não entendo tanto de política quanto gostaria. Mas eu sei o que é certo e o que não é.

Fiquei surpresa com a falta de reação das pessoas em relação à censura que foi imposta ao Jornal Estado de São Paulo, e ao portal Estadão, proibindo a divulgação de informaçoes sobre o presidente do senado José Sarney, que atualmente esta numa bela "confusão", sob pena de uma multa de R$150,00.

Por acaso nós voltamos à ditatura militar e meu memorando se estraviou? Por acaso é plausivel, em pleno século XXI que as autoridades proibam a divulgação de informações que cabem ao povo mais do que à ninguem? Nós temos o direito de saber o que as pessoas que nós elegemos estão fazendo, e esse é um direito que ninguém pode nos tirar! Me é inconcebivel que essa limiar já tenha ido tão longe! Por acaso ningém reparou em nada não? Ah, para censurar velhas falando de sexo na TV, tudo bem, todo mundo se levanta e começa a reclamar, que se perdeu a liberdade, que as pessoas não podem mais se expressar, mas quando acontece algo muito mais relevante, parece que todo mundo dormiu.

Já estava me irritando por si só. Agora outra coisa que rolou nessa semana foi o caso do tal "Boteco de são Bento", que após receber uma péssima crítica do blog resenha em 6, entrou com uma notificação extra-oficial ordenando a imediata retirada do post em questão, sob ameaça de instaurar um processo.
O dono do Boteco que me perdoe, mas quem ele pensa que é para achar que pode limitar aquilo que as pessoas podem ou não dizer? Aonde entra aquela coisa de "Liberdade de expressão"?
O caso ficou conhecido após varios blogueiros e afins se revoltarem contra esse absurdo, incluindo pessoas como Juliana Sardinha, do Dicas Blogger, e Cardoso, que no seu blog Contraditorium, publicou:

"Pois bem; acho que advogados também merecem ganhar seu dinheiro, então sugiro que a advogada do Boteco São Bento tenha bastante trabalho. Minha proposta: TODOS, digo TODOS os blogs devem publicar o MESMO post. Assim ela terá que enviar notificação para TODO MUNDO. Ou fechar a Internet."

Bom, confesso que estou morrendo de medo, por que eu não entenso lhufas de coisa nenhuma, mas uma coisa eu digo: Não vou deixar que ningém tente limitar a minha liberdade de expressão, NÉM por cima do meu cadaver.

Aqui a minha parte:





Depois da Faixa de Gaza e do Acre, este é o pior lugar do mundo para você ir com os amigos. Caro, petiscos sem graça e, principalmente, garçons ultra-power-mega chatos: você toma dois dedos do seu chopp, quente e azedo que nem xoxota nos tempos dos vikings, eles já colocam outro na mesa. E se você recusa, eles ainda ficam putos. Só tulipadas diárias no rabo para justificar tamanha simpatia no atendimento.

  • Fui no da Vila Madalena. Dizem que o do Itaim é ainda pior. 
  • Para dicas de botecos que valem a pena, leia outras resenhas aqui
  • Siga o Resenha pelo Twitter antes que eu bote outro link na mesa.



Resenhado por Raphael Quatrocci
às 23:22