01 novembro 2010

Meu partido é um coração partido


Votei. Arrasada. Decidi meu voto 3 minutos antes de entrar na seção eleitoral. Eu moro a 3 minutos da minha seção eleitoral. Foi minha primeira eleição. "Que merda!". Me pergunto, são todas assim?

Eu podia ter votado tanto na Dilma quanto no Serra, que a sensação ia ser a mesma. Tanto no PT quando no PSDB. Por que hoje é a mesma merda. Porque já fazem muitos anos que o PT não é mais esquerdista de verdade. E eu me pergunto se algum dia o PSDB foi social-democrata. A Dilma não conta pro povo que ela ganhava um salário de rico na Petrobrás, conta? O Serra não é de gritar que ele vai lotear o brasil e atirar para os abutres estrangeiros, é? Minha sensação hoje foi de que qualquer que fosse o resultado dessa votação, seria uma derrota para o Brasil e uma derrota pessoal. Derrota Brasileira porque simplesmente não havia nenhum candidato que não embrulhasse o estômago. Derrota pessoal porque a eleição veio e se foi, e eu não tenho uma opinião formada.

Esse mês eu questionei, pela primeira vez na vida, a opinião familiar vigente há mais de 20 anos de que PT = núcleo malvado da novela, PSDB = os ursinhos carinhosos. Eu fui obrigada a jogar fora a certeza de uma vida inteira e tive uns 3 meses para tentar reorganizar meus pensamentos acerca de política. Eu fiquei razoavelmete segura em votar Marina Silva no primeiro turno. Eu sentia tamanha antipatia pelos outros dois, que a existência dela era um alivio. Uma fuga. Eu sabia que os outros dois não prestavam, então ia votei nela. Não pesquisei, não investiguei, não me dei ao trabalho. Eu confiei cegamente na novidade, no inédito. E em que deu? Alguém tem visto dona Marina ultimamente? Ela sumiu! assim que perdeu a eleição, ela deu pra traz. Ela preferiu calar a boca a apoiar qualquer candidato. Ela preferiu defender sua carreira aos seus ideais. Pois é. Pra mim, Marina Silva foi a maior surpresa e a maior decepção dessa eleição. Ela defendeu por toda a campanha que os eleitores precisam se expressar, mas na hora dela, ficou quieta. 

E o que mais me frustra é que eu posso voltar a votar nela no futuro. Isso porque parece não haver nenhum candidato melhor agora, e eu duvido que haja depois. Essa campanha me pareceu quase uma grande conspiração, com manipulação de todos os lados, sem inocentes. Eu lia uma noticia e me perguntava "o quanto disso é verdade?" Eu recebia e-mails e não sabia se era real, ou se era manipulação barata. o blog Imprença mostrou, na real, as alterações feitas na noticia do "ataque" ao Serra. Naquela noite, eu comentei com meu pai o assunto, e ele disse: "É melhor assim, porque se 'o ataque' for fraco, não tira voto da Dilma". Ou seja, a verdade não importa mais, mesmo, o que importa é vencer. Se for preciso soltar umas mentirinhas por aí, em nome do bem maior... Não se engane, eu sempre soube que a imprensa é tucana, mas dessa forma escancarada, eu fiquei, sim, chocada. Também houve o choque de valores entre o pensamento do meu pai e o meu. Meu pai queria Serra, de qualquer maneira. Eu não.

E qual era a alternativa? A Dilma, manipulada pelo Dirceu, e toda a corja? A Dilma sem habilidades sequer de fingir que sabe o que está fazendo? A suposta terrorista? Mas ela é mesmo terrorista? Tudo o que eu sei sobre o PT agora é distorcido, corroído pelo excesso de informação de um milhão de fontes onde nenhuma é confiável... Pessoas em quem confio e que admiro me mostraram supostos dados do governo Lula, que me fariam até desejar sua permanência, mas como eu lido com esse preconceito entranhado que eu tenho, que me impede de ver com clareza?

Não digo com isso que acho que a Dilma presta. Não digo que o Serra preste. Não direi que a Marina prestava. É uma eleição sem opçoes. Disse no twitter, e repito aqui: Só sairia satisfeita desse dia se o Nulo ganhasse esse ano. 
Não sei se a Vitória da bruxa me entristece mais do que entristeceria a vitória do vampiro. Só sei que foi um Halloween negro.

No primeiro turno, sai da seção eleitoral com sentimento de direito exercido.Do segundo, com pensamento de "Acabou, o que está feito está feito, e dane-se" 

Devia mais é ter curtido o #potterday, jogado mais farmville, dormido das 8 da manha até a manha seguinte, e fingido que está eleição não era comigo. Deprimente. Viva a Democracia!


>